terça-feira, 2 de novembro de 2010

O amanhã


"Sem desespero, por favor"

"Trying hard, I thought
I'd done my best
All my life, I can't get no rest"

Seja lá a hora que você acordar amanhã, o sentimento deverá ser o mesmo. Enquanto arrasta com alguma dificuldade o corpo até o banheiro, a mente aos poucos dar-se-á conta da importância do dia. Após finalmente secar o rosto e confrontar o espelho, respiraremos fundo e diremos: "é hoje!".

Amanhã será o dia em que os sentimentos alternar-se-ão nas nossas mentes. A agonia da espera será substituída pelo temor de um resultado não favorável. Depois, balançaremos a cabeça, como se quiséssemos negar a nós mesmos essa possibilidade, e sonharemos sobre como será o futuro já com os três pontos. E assim será por todo o dia.

Por mais que tentemos pensar o contrário, sabemos que o jogo será tenso. Aquela rampa interminável parecerá maior que a Avenida Brasil e os 90 minutos parecerão mais longos que semanas. Os ataques do Botafogo parecerão menos eficientes do que estamos acostumados e os deles, mais perigosos.

Mas, meus amigos, isso é o normal. Jogos decisivos (e nervosos) têm sido a nossa sina durante a maior parte de nossa história e, felizmente, eles voltaram nos últimos anos. E convenhamos: os últimos jogos têm sido extremamente cruéis nesse sentido.

Amanhã será mais um dia. Um dia longo e nervoso. Mas, sobretudo, um dia Botafogo. Aproveitem.

OBS: Foto de Pavel Krukov

Thiago Pinheiro escreverá aqui ocasionalmente textos iguais a esse falando sobre a relação torcedor-clube e, também sobre política e finanças do Botafogo. É sócio-proprietário e lançou o livro "Botafogo - Muito Mais que um Clube".

Contato @pinheiro77 e www.thiagopinheiro.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário