sábado, 31 de dezembro de 2011

Que venha 2012!!!

Não é fácil torcer para o Botafogo e quem viveu 2011 viu: participações lamentáveis nas competições disputadas com direito a uma desilusão amorosa para sua torcida na reta final do brasileiro. Apesar disso, aqui estamos nós, apaixonados. Como será nosso 2012? Independente dos resultados, posso adiantar algo - cá estaremos nós -, vocês e o Botafogo News juntos ao Botafogo, na alegria ou na tristeza...

"O torcedor do Botafogo tem um coração repleto de memoráveis cintilações: convivem, na mesma estrela, dribles insondáveis de Garrincha, passes impressentidos de Didi, antevisões de Nilton Santos, cismas de Carlito Rocha e gols, muitos gols de Heleno de Freitas, cada um mais épico que o outro. O Botafogo sou eu mesmo, sim senhor!" (O Botafogo e eu, Armando Nogueira)

O ano alvinegro não foi fácil, como todos os anos de nossa história. Torcer pelo Botafogo é colocar, a cada partida, nosso coração e nossa sanidade em xeque. 


2011 não foi o ano que esperávamos, afinal, depois de muitos anos vimos de perto a possibilidade de erguer a taça do Campeonato Brasileiro... triste ilusão, o projeto se desmanchou da pior forma possível... não vimos luta de nossos jogadores em campo: o que vimos foi a passividade, vimos gente entregue em campo... não há pior forma de ser derrotado.


Aos que estão chegando ao Botafogo: vocês não vão fazer parte de mais um time de futebol. Vocês estão chegando ao Botafogo, um clube cheio de tradições, glórias e, sem dúvida alguma, referência na história do esporte desse país. Venham com garra, lutem até o fim e honrem a camisa do, não à toa, Glorioso.


E a todos vocês que nos acompanham aqui pelo blog, twitter, facebook, orkut, enfim... continuem ligados no Botafogo News!!! Teremos um ano novo cheio de novidades, mas o nosso lema continuará intacto, "notícias do Botafogo, de botafoguense para botafoguense".


Tenham todos um 2012 Glorioso.

domingo, 18 de dezembro de 2011

Carta de despedida



Salve, salve galera botafoguense!

"O verdadeiro canal de informação do torcedor alvinegro" foi criado por Thiago Petra no final de março de 2009. Pouco depois veio o convite para que eu ajudasse no comando do projeto: um twitter focado em notícias do Glorioso. Passei a colaborar ainda sem entender como funcionava o twitter. Rapidamente tomei gosto e fui embora.

"E se eu comprar um smartphone e tuitar do estádio?" Botei a ideia em prática quando quase ninguém tinha internet no celular... e demorei quase um ano para perceber que eu estava abrindo mão do meu divertimento para lançar em tempo real fotos e aquele comentário diferenciado da arquibancada. Depois o smartphone quebrou, mas continuamos atingindo recordes de audiência com os comentários feitos durante o jogo.

Fiz de tudo para que o canal se tornasse um porta-voz da torcida, e por mais que sempre estivesse muito bem claro aonde eu queria chegar, sempre me impressionei e ainda me impressiono com os resultados. Com a exceção dos charutos e um site boladaço no ar (que finalmente vai sair do papel em 2012), contribui para o BotafogoNews a atingir aquilo que almejavamos.

Três anos se passaram.

Saio de férias mas continuo atuando nos bastidores colaborando para a implementação do site. Não houve nenhum problema motivador, apenas cansaço. A renovação é positiva para o News, até porque fortalecerá o coletivismo do projeto.

Obrigado a todos aqueles que acreditaram e ainda acreditam nas melhores intenções do nosso projeto. Agradecer um ou outro diretamente me obrigaria a cometer alguma injustiça... deixo meu muito obrigado para todos aqueles que colaboraram de alguma forma com o crescimento e fortalecimento do BotafogoNews!

Deixo no projeto em boas mãos. Como diria o Eymael, "a cadeira está vazia" ... agora é com vocês!

Obrigado pela moral de sempre e até breve!

André 

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Breves Comentários

Sobre o Carioca de 2012

Não entrem na ilusão de que as coisas são fáceis. Tenha certeza que ao chegar nas semi-finais e nas finais, os adversários colocarão os times titulares. Todos sempre fizeram isso.

Por mais que seja um “carioquinha” para dos outros três times do Rio, não deixa de ser um título oficial com prêmio em dinheiro. E de dinheiro, todos gostam.

A pressão é toda nossa. A obrigatoriedade é toda nossa. A necessidade é parcial.

Ganhar um carioca é sempre bom, mas é preciso terminar com a taça na mão e com o grito cobrando algo maior.

--

Sobre o Andrezinho

Dizem que depende somente do Internacional. Confesso que gosto da contratação. Bom passe, experiente e obrigará Elkeson e Maicosuel a jogarem mais. Além disso, teremos, finalmente, quatro armadores no time (contando com o Felipe Menezes).

Com a chegada dele, a parte de armação estará completa. Não precisaremos de novas contratações.

--

Sobre o Alessandro

Eu não acho que seja questão de futebol. Pra mim, há muito tempo, Alessandro se tornou um membro necessário para equilíbrio do elenco. O lateral deve ser bom para o lado emocional do time e, se ele realmente é o presidente, tem liderança.

Alessandro é o cara que “chama pra si” as vaias e o foco das reclamações. Enquanto nossas atenções estiverem voltadas pra ele, outros jogadores fazem cagadas e chamam menos atenção. Isso é ótimo, num estilo “pão e circo”.

Não defendo sua permanência, mas acho que o elenco faz pressão para a renovação do contrato. É mais um pedido do grupo que uma vontade da diretoria.

--

Sobre o Tanaka

Muito andaram criticando Antônio Carlos e Fábio Ferreira. Não acham que eles sejam jogadores ruins. Pelo contrário, considero-os uma dupla de zaga boa. É que ninguém lembra que, até o meio do segundo turno, éramos uma das cinco melhores defesas.

Tanaka, se vier, briga pela vaga.

Lembram do Ferrero? Ele é desse tipo. Chega firme, bate e não acredita nos Direitos Humanos. Fora que ele é um capitão nato. É bom o time ter jogadores de liderança e com passagens em seleções e Copas do Mundo.

Experiência - é disso que precisamos. Muitos dos nossos jogadores (Cortês, Elkeson, Lucas, Lucas Zen, Cidinho, Caio, Maicosuel...) precisam ter convívio com esse tipo de jogador. Alguém que passe conhecimento e coloque o pé no chão, para evitar saltos-altos, chinelinhos ou oba-oba.

--

Volta do Jobson

Sempre confiei. Tem lá seus problemas, mas quem nunca teve? Defendo esse cara sem precisar de contrapartida.

Rápido, faro de gol, drible seco... Quantos atacantes por aí tem essas características? No Brasil, nenhum. Sua volta só melhora a qualidade do time.

--

Oswaldo de Oliveira

Procurei umas notícias na internet sobre as passagens dele em times cariocas. Aparentemente, sua saída sempre foi determinada por desentendimentos com os dirigentes.

Não conheço muito bem seu trabalho, mas sei que ele está longe de ser o tal técnico de peso que desejamos.

Se posso palpitar, eu esperaria pelo Paulo Autuori. Colocaria um Jairzinho, ou Gonçalvez, ou Gottardo, ou Maurício ou outro ídolo no lugar do Flávio Tenius só até acharmos um técnico que faça jus a nossa tradição.

De qualquer forma, se é o Oswaldo de Oliveira que vem, espero o melhor. Desejo que ele não fique só por alguns meses, mas que seja para sempre.

Também quero que ele dê frutos que justifiquem o salário que receberá.

--

A mulher do Oswaldo de Oliveira

Sem comentários.


quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

A Fusão - UM SÓ BOTAFOGO


Saudações Alvinegras!

Durante visita a Sede de Regatas do nosso Glorioso, tive a bela oportunidade de conhecer alguns feitos e relembrar outros. Vendo aquele belo mural de glórias que divide espaço com os barcos, mais uma vez pensei em quantos acontecimentos marcantes são desconhecidos para boa parte da nossa torcida. Por isso, resolvi falar sobre um dos episódios mais marcantes da história alvinegra: a fusão.

Comos muitos sabem, o Club de Regatas Botafogo nasceu em 1894 (01/07) e o Botafogo Football Club em 1904 (12/08). Mas muitos não sabem que os 2 Botafogos viveram paralelamente até 1942. Ou seja, as famílias alvinegras dividiam suas atenções entre 2 instituções com o mesmos nome, bairro e cores. Os dois clubes foram crescendo poliesportivamente e a fusão era o caminho natural, embora tenha demorado para ser efetuada. Tudo conspirava a favor, mas a união só veio a partir de uma tragédia.


No dia 12 de junho de 1942, o Club de Regatas Botafogo e o Botafogo Football Club disputavam a final do Campeonato Carioca de Basquete. Quando a partida estava 23 a 21 para o Football Club, o defensor do F.C. Armando Albano sofreu um ataque fulminante que lamentavelmente resultou em sua morte.

O jogo foi suspenso e a fatalidade uniu os 2 Botafogos. Em homenagem póstuma, ficou decidido que o restante do jogo não seria disputado. A lamentável morte de Albano teve influência decisiva para que a fusão se tornasse apenas questão de tempo. A tragédia serviu como propulsão e em 08 de dezembro de 1942 a união foi concretizada: o CRB da "Estrela Solitária" e o "Glorioso" BFC passaram a ser um só. UM SÓ BOTAFOGO.

Amém.

O texto em questão foi escrito originalmente para o extinto Tribuna Alvinegra, primeiro Blog da galera do BotafogoNews, no longínquo 18/06/2009... na época eram apenas dois no comando (eu e o criador Thiago Petra) e uma dúzia de seguidores. A dúzia virou uma dúzia de milhares mas o sentimento  e o propósito continuam sempre os mesmos!

domingo, 4 de dezembro de 2011

Soneto Da Desilusão Em Preto e Branco

O Botafogo acumula dívidas sem explicações,
Mas o marketing é ótimo!
O Botafogo não ganha um título,
Mas os jogadores recebem em dia!

O Centro de Treinamento é uma maravilha,
Já aqueles que usufruem da estrutura...
Temos um estádio moderníssimo,
Com gramado ruim e energia intermitente.

“Tem que ter paixão” – eles me pedem
Eu faço o possível pra manter o fogo no peito
E os momentos ruins que já vi, ainda vivo.

Tem horas que eu me pergunto:
Para onde o Botafogo cresce?
Ninguém sabe responder.

domingo, 27 de novembro de 2011

A vergonha que me sobra



André acabou de fazer o terceiro gol. Desliguei a televisão. Sentei na escrivaninha e abri o Word.

Não estou sozinho no sentimento. O meu twitter é repleto de alvinegros que lamentam da mesma forma.

Há um misto de raiva com desânimo. “O que se passa? Como isso aconteceu? De quem é a culpa?” – eu penso. Thiago Pinheiro, nobre alvinegro, inteligentemente comenta:

“@pinheiro77 Isso aconteceu em 2007, 2008, 2010 e 2011. E só sabem reclamar do time. É...”

Faz todo sentido.

Assim como venho dizendo nas últimas colunas, Caio Jr, Alessandro, Somália e outros não são os verdadeiros culpados. Há algo errado e, muito provavelmente, nem camisa alvinegra usa.

O câncer está alojado em algum local secreto, longe dos protestos da torcida, nunca interpelado pelas organizadas. Esse mal – que eu juro que não sei o que é – fez-se presente nos últimos anos, nas últimas administrações, está enraizado, por mais três anos, provavelmente.

Mesmo sem ter procuração, defendo todos do elenco. Todos mesmo. O time de 2007/2008 não jogou em 2010/2011, mas o resultado é o mesmo: fracasso, desilusão e vergonha.

Há algo de errado que não participa da preleção ou aparece nos álbuns de figurinhas.

Cuidado! Antes de pedir a cabeça de jogador ou técnico, lembre-se: essa história repetiu-se deveras vezes nos últimos anos.

Muita coincidência? Não entendo assim. Thiago Pinheiro nos provou que há algo de errado e não é com o elenco ou técnico.

Loco perdeu o pênalti

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Em resposta aos comentários do post anterior:

Ninguém comemora vaga na Sul-Americana. Também não vejo torcedor dizendo: “Dane-se a vitória, o CT é muito bom!” ou “Quem liga pra título, quando se tem um estádio?”

Não tenho reclamações sobre o clube. Esse, nos últimos 8 anos, cresceu que é uma maravilha. Não preciso citar as melhorias, pois todos conhecem. Bebeto de Freitas fez e o atual presidente faz um trabalho exemplar.

Eu reclamo dos jogadores, porque, infelizmente, o time de 2011 foi muito bom.

Sabe aquele momento do campeonato em que jogamos o fino da bola? Esse time era tão bom que o Barcelona não seria páreo.

Por outro lado, sabe esse time que perdeu cinco das últimas seis rodadas? Esse é fraco demais. Capaz de perder pro América-MG.

A verdade é que, pra qualidade dos jogadores, o resultado do time é pífio. Eles poderiam conquistar mais do que imaginávamos.

Lutaram tão bravamente que, até o final do campeonato, jurávamos que, pelo menos, a vaga da Libertadores estava certa.

Estávamos enganados.

Por alguma razão desconhecida, o rendimento do time – não do clube – caiu. Saímos da terceira posição para o meio da tabela do campeonato.

Como pode o fracasso vir tão arrebatador?

Não venham culpar o elenco. O Bruno Thiago jogou o quê? Três partidas? E o Somália? Quatro? Ou será que o Léo foi quem entregou o Campeonato? A culpa é da queda de produção dos onze titulares.

Ora, se nos titulares não posso confiar, vou pedir salvação aos reservas?

E por mais que as falhas sejam inerentes aos seres humanos, elas foram catastróficas ao Botafogo. Some isso a ausência de poder de reação e pronto: perdemos a vaga da Libertadores com rodadas de antecedência.

Antes que culpem Caio Jr devo dizer: mesmo que seu trabalho não fosse bom, demitir o técnico faltando três rodadas do Brasileirão é decisão pra agradar a platéia.

O povo pediu e o imperador atendeu. Vocês ficaram satisfeitos com a decisão, mas o resultado, que era importante, não veio. Ou seja, continuamos na mesma, agora, sem comando.

Que discordem do meu discurso, será um prazer ver as opiniões, mas não tentem me calar:

Minha voz canta o hino e cobra tradição.

domingo, 20 de novembro de 2011

Duas Notícias

Eu tenho duas notícias que gostaria de dividir com vocês. Uma ótima, outra ruim.

A NOTÍCIA RUIM

Não é culpa do Alessandro, não era culpa do Caio Jr, não é culpa do Renan, do Everton, do Renato Cajá, do Somália, Araruama, Caio, Felipe Menezes ou Alex. Nenhum deles tem culpa.

A culpa é dos onze titulares. Aqueles mesmos: Jefferson; Lucas, A. Carlos, F. Ferreira e Cortês; Renato, Marcelo Mattos, Elkeson e Maicosuel; Herrera e Loco.

O time que mais entrou em campo é o mais culpado. Quantas vezes poderíamos ter resolvido o jogo, mas saímos com prejuízos? Culpa deles.

Jefferson falhou várias vezes, assim como Marcelo Mattos, A. Carlos, Cortês e Fábio Ferreira. A defesa, quando pode, se demonstrou um fiasco.

No ataque não foi diferente. Maicosuel e Elkeson não trocaram um passe, Herrera e Loco passaram longe de ser aquele ataque MERCOSUL... Nem quero lembrar.

Fora isso, Lucas só serviu pra por o Alessandro no banco. O Renato, bem... não errar passe ganha campeonato? Cada um tem uma resposta.

A NOTÍCIA BOA

O Botafogo só terá chance de perder mais dois jogos em 2011. Depois disso, não perderá mais nesse ano. Podem acreditar em mim. Agora, em 2012, não posso garantir.

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Caio Júnior, o "homem que não erra"




Amigos, é realmente indigesto ter que conviver com as péssimas delcarações de um aprendiz de feiticiero. No BotafogoNews, ninguém nunca foi fã do Caio Junior, mas a campanha não permitia fortalecer o coro de Fora Caio Jr com o time brigando pelo título. Por mais que alguns torcedores discordem e tenham jogado contra o próprio time, o momento de apoio exigia tolerância. Era preciso otimismo e apoio por algo muito maior ou mais importante que esse engomadinho sem humildade. 

Após o último revés, lamentavelmente saímos da briga do título com uma atuação pífia. O momento seria de juntar os cacos e partir pra cima com tudo, rumo a Libertadores... mas, pelo visto, a falta de vontade de time e técnico atingem níveis vergonhosos e vexatórios. O lance do pênalti para o Vasco no último clássico pra mim deixou bem claro a falta de foco, culhão, raça e garra na hora da decisão. 

Pior é quando acabam os jogos com resultado negativo. Aí vem as coletivas do menino do Qatar. Sim, um MENINO. Homens assumem erros, Caio Júnior é moleque!!! Capaz de culpar torcida, jogadores, cultura brasileira, calendário, chuva, sol, terra, mar, mas nunca capaz de assumir os seus erros e dizer "Desculpa, eu errei". A mediocridade de suas declarações assusta e enoja! A luta pela importante vaga na Libertadores continua e amanhã temos uma importante decisão. Todavia, é preocupante demais ver um time sem vontade de vencer. De nada adianta o nosso apoio, se o time não der o sangue, se o moleque do Qatar insistir em fazer merda e falar merda. 

Leiam a última declaração infeliz de Caio Jr, postada no site do Jornal de Globo de hoje:

"Vai ser um jogo complicado, pois eles ainda têm chance de escapar. Precisamos muito da vitória, mas não podemos entrar em campo com o peso extra de ter de vencer um dos últimos colocados." (matéria completa: http://oglobo.globo.com/botafogo/hora-do-botafogo-jogar-com-regulamento-no-bolso-3241288#ixzz1dmxbAsau)

Um time que não entra em campo para vencer não merece respeito!

Enquanto isso, Maicosuel deu declaração dizendo que ainda acredita no título. Falta foco, vontade e unidade. Para piorar, existe dificuldade de entendimento de comunicação e mentalidade entre eles, entre eles e a torcida, entre a torcida e o Harry. Complicado... 

Apesar dos pesares, a fé na conquista da América continua!

Uma certeza: PRECISAMOS DE UM 2012 COM LIBERTADORES E SEM CAIO JÚNIOR!

domingo, 13 de novembro de 2011

O nó tático em si mesmo

O clássico diante o Vasco foi um desastre. O Botafogo começou melhor, dominou os 15 primeiros minutos de partida, criou chances e não marcou por pouco. Criou graças ao meio campo que funcionava: Elkesson e Maicosuel buscavam jogo, Lucas colocava o Herrera para jogar em cima do fraco Jumar, mas o alvinegro pecava no último passe. Esses 15 minutos foram os únicos jogados pelo time da Estrela Solitária.

Mesmo enquanto jogava bem, o Vasco já dava indicativos que o caminho seria nos contra-ataques, o Botafogo exposto dava campo, principalmente pelo lado direito do ataque, nas costas de Cortês. Esse, mesmo enquanto o Botafogo jogava melhor, não tinha desculpas, já que não se lançava ao ataque. Depois que tomou o primeiro gol o Botafogo voltou a ser o Botafogo do resto do campeonato, já explico.

O Botafogo joga em um esquema, “clássico”, mas que em campo tenta incorporar um futebol moderno, segundo Caio Jr. No papel, se identifica com a equipe do Corinthians do ano passado. Um atacante fixo e centralizado, função cumprida por Loco Abreu; dois pontas, Maicosuel pela esquerda e Herrera pela direita; e um meio campo que deveria atuar centralizado, Elkesson. Na cabeça e na prática de Caio Jr, com dois bons volantes, que de fato são, os meias não deveriam buscar jogo: errado. Funcionou boa parte do campeonato exatamente por ter dois bons volantes, com precisão no passe e com condições de criação, mas nem de longe é um esquema ideal. Um bom exemplo disso é que raramente ao longo do campeonato vimos um meio-campo jogar de frente, buscar a bola antes do meio do campo. Exceção foram os jogos em que Felipe Menezes atuou. Longe de o querer no time titular.

Além disso, nesse esquema, esses dois alas deveriam ser verdadeiros atletas, Dentinho e Jorge Henrique no Corinthians, o que na prática do Botafogo nunca aconteceu. Não só para reforçar na marcação, como para sair de trás com a bola. Os dois pontas fixos e avançados só facilitam a marcação: recebem de costas e com um espaço bastante reduzido de jogo, já que para um dos lados o campo tem fim. Falei “verdadeiros” atletas, pois, sinceramente, enxergo uma visível falta de preparo físico para essa equipe. Maicosuel não corre mais do que a maior parte dos meias do Brasil e se cansa aos 10 da segunda etapa, nas partidas que ao menos tenta voltar para marcar se cansa mais rápido ainda.

Outra conseqüência de tal padrão tático ficou mais do que visível no jogo de hoje. Com os meias abertos - Elkesson sempre se lança para um dos lados, também tumultuando mais ainda o curto espaço – os volantes e os zagueiros se lançam a sair para o jogo. Em uma dessas saídas de bola com erro de passe de Fábio Ferreira, Éder Luis se lançou as suas costas e fez a jogada do primeiro gol. Outra crítica ao esquema adotado por Caio Jr é o fato de o Botafogo ter dois bons laterais ofensivos - Cortês passa por uma fase péssima, mas é bom. Lucas, depois do Jefferson, foi o melhor em campo pelo Botafogo hoje, já havia sido contra o Figueirense, de seus pés saíram as melhores oportunidades – e a subida deles ou está mal treinada com esses dois pontas, ou é por si só confusa, com dois jogadores para jogar no mesmo espaço do campo.

A partida de hoje só não foi pior pelo acaso, o Vasco jogou muito mal, o Botafogo mais uma vez demonstrou a sua ineficiência, tinha a posse de bola e não criava nenhuma chance de gol. Isso não é novidade, contra o Figueirense foi assim, contra o Cruzeiro, entre outros. Na realidade, desde o primeiro tempo contra o São Paulo a equipe não demonstra nenhum poder efetivo de criação de jogadas. Deu certo na reta final do 1º turno, mas os adversários aprenderam a marcar e os “meias-pontas” não estão inspirados. Em fase boa ou ruim a equipe não pode apresentar um futebol sequer aguerrido, ineficiente, sem poder algum de reação como foi a partida de hoje.

Por último vale lembrar que é a segunda derrota do Botafogo que o Caio Jr morre com uma substituição por fazer. Era evidente para qualquer espectador do clássico que a questão alvinegra girava em torno da ineficiência para a criação. No entanto, o meio-campo permaneceu intocável pelo treinador. Sequer ousado foi, quando, já perdendo por 2 a 0, tirou Herrera para colocar Caio, 6 por meia-dúzia. Quem quer ser campeão necessita, ao menos de ousadia e determinação. Quando falta técnica, a noite não está boa, os dois elementos podem ao menos garantir o ingresso comprado pelos torcedores...


#temqueterpaixão?

Mas até quando ela será platônica?! Quando poderei afirmar que há uma reciprocidade do clube/time com a torcida?

Ora, não há amor que sustente tanta desilusão.

Segundo reportagens da grande mídia, Anderson Barros passou aos nossos jogadores a história recente do torcedor alvinegro. O dirigente quis explicar a razão da nossa impaciência. Pois bem, deixem-me resumir aquilo que possivelmente foi dito: desde 1999 foram apenas dois títulos (cariocas); a última Copa Libertadores disputada pelo Botafogo foi em 1996; e um rebaixamento no início do século.

Diante disso, eu pergunto:

Como esperar que alguém, em nome de uma paixão, abandone os amigos, o trabalho, a família e gaste vinte ou quarenta reais para ver uma decepção?

Eu não sei o que motiva. Mesmo assim, alguns poucos de nós fazem esse sacrifício em nome da paixão.

A culpa é da torcida? Não, ela sempre se fez presente.

Esse é o meu ponto: a paixão por parte da torcida já está mais do que provada.

Jejuns de títulos, freguês de todos os outros times cariocas, rebaixamento, nada de Libertadores... Apesar dos infinitos adventos, o torcedor comparece num número proporcional as nossas últimas alegrias.

E quanto aos jogadores?

Futebol? Eles mostraram que tem. Salários? Estão em dia! Está faltando o quê?

Paixão?

Esse é o meu ponto.



---

Obs: e não me venham com esse papo de que jogador quer só dinheiro. Jogador quer título, pra subir na carreira e ter mais dinheiro.

terça-feira, 1 de novembro de 2011

A nossa parte.



O Botafogo passa sem duvida nenhuma pelo seu melhor momento nos últimos anos, a cada ano sobe um degrau de qualidade em todos os aspectos, seja no futebol ou na estrutura, esse ano por mais que tenha tido um primeiro semestre sofrível, a diretoria e o elenco souberam contornar a crise e deram a volta por cima, e a chegada do Renato e do Elkeson deram um toque de qualidade que faltava ao meio campo alvinegro, e hoje o Botafogo tem uma campanha brilhante que tem resgatado o orgulho Botafoguense antes ferido, é a hora de esquecer o passado e começar a ver que o futuro pode ser excelente basta a torcida abraçar o time.

A união é vital neste momento, é hora de esquecer a raiva com qualquer jogador e passar a apoiar, a nossa torcida é fundamental, Botafogo é extremamente forte no Engenhão e temos tudo pra usar essa força a nosso favor basta nós querermos e lutarmos por isso. O titulo pode ser nosso, mas pra isso a torcida tem que deixar o pessimismo de lado e empurrar o time rumo a mais um triunfo.


#VAMOSLOTARFOGO!



Meu Imenso Prazer


Ô glorioso Botafogo time da estrela solitária...estrela essa cintilante que é solitária apenas no nome, pois carrega consigo histórias belíssimas. Pobres são aqueles que se denominam seus torcedores, entretanto te menosprezam e não acreditam em você, mal sabem o valor que você tem. Eu sempre soube, por isso sempre estive com você até nos piores momentos quando ninguém acreditava, eu fiquei pra te apoiar e não te deixar se entregar, quando quiseram te ofender eu estava lá como um guerreiro pra te defender, nas vitórias estive presente do seu lado comemorando e vibrando, quando te derrubavam esticava o braço pra te levantar, quando conquistavas importantes feitos te incentivava a querer sempre mais, porque você sempre foi a válvula de escape da minha vida, sempre que ficava triste era você que me emocionava e me tirava um sorriso do rosto e agora em um momento tão importante e tão bom que você precisa tanto de mim acha mesmo que eu vou te abandonar? Eu estarei contigo sempre nos piores e melhores momentos, pois você sempre me acolheu e me fez feliz, e nunca pediu nada em troca além do meu apoio, e não tenho duvidas que és muito mais que um clube de futebol para mim és uma segunda família.




segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Para o alto e avante

Taí os melhores momentos pra quem não viu!

3 pontos atrás do líder me faz voltar a sonhar. Nessa reta final do Brasileiro temos que ressaltar todos os pontos positivos. Loco Abreu voltando a decidir, Maicossuel voando em campo, Elkeson fazendo as pazes com o futebol, felipe menezes no banco(Se deus quiser, para sempre).

Caio e Herrera têm que começar a fazer esses gols fáceis, se isso acontecer nossas chances aumentam considerávelmente. Temos um confronto direto com os vascaínos, e o corinthians pode tropeçar em qualquer jogo a seguir. Por pouco eles não tropeçaram ontem.

No sábado, basta fazer o simples para ganhar do figueirinha, gols. Chances o time tem criado de sobra. Feito isso, basta jogar com seriedade e SEM RECUAR. O que é jogar com seriedade? É tocar a bola direito, sem errar passes fáceis, ou tentar inventar gracinhas e jogadas de efeito. É bicar a bola sempre pra frente quando ela fica pererecando na nossa área, é não dar chances ao adversário sequer chegar perto da nossa meta, etc...

É um título brasileiro, que valoriza o passe de TODOS os jogadores(Até o sonolento F. menezes vai ser valorizado, e aí, quem sabe a gente se livra dele). É um título que vem para devolver ao Botafogo o que é seu por direito. A Glória!


Newton de Lima é um Glorioso WebDesigner, apaixonado por futebol e Alvinegro de coração. Peladeiro nos finais de semana, teve que deixar os gramados pelo amor à cerveja, contentando-se assim com o eterno amor ao time da Estrela Solitária. Escreverei aqui sobre a paixão de ser alvinegro, lembrando sempre que o amor anda de mãos dadas com o ódio.

domingo, 30 de outubro de 2011

Uma Possibilidade


Eu não pude ver o jogo do Botafogo contra o Cruzeiro. Estava trabalhando e será assim até o fim do Campeonato Brasileiro. Portanto, não posso fazer comentários acerca do derby.

No entanto, soube pelo Facebook e Twitter que um torcedor jogou uma garrafa em campo.

Todo alvinegro – eu disse TODO – sabe que isso pode nos custar o mando de campo. E TODO botafoguense – eu disse TODO - sabe que querem nos tirar do Engenhão no último jogo do Brasileirão.

Eu não creio que um botafoguense, por mais bêbado que pudesse estar, jogaria uma garrafa em campo. Ainda mais sabendo que isso nos prejudicaria, podendo tirar a vaga da Libertadores ou o título.

Diante disso, pensei na seguinte possibilidade:

Já imaginou que a pessoa que jogou a garrafa pode ter sido paga pela FFERJ ou pelo Flamengo para tirar o Engenhão do Botafogo na última rodada?

Não é impossível. Um ingresso, cinqüenta reais, uma garrafa e muita má vontade. Receita suficiente para atrapalhar o Glorioso.

Aliás, não só a FFERJ e o Flamengo que estão interessados nessa mutreta, Vasco, Fluminense e os órgãos de segurança do Estado do Rio de Janeiro também querem nos tirar do Engenhão.

Pensem nisso.

terça-feira, 25 de outubro de 2011

"A Vida Em Seus Métodos Diz Calma" - Di Melo


*Ouça a música do vídeo enquanto lê o texto.

A figura do jogo não tem carteira de identidade, CPF, título de eleitor. Nem pensar ele tem pedigree. Talvez, num caso de muita sorte, o cachorro tem sua cartela de vacinas. Isso pensando de forma muito positiva.

Quem aqui realmente achava que o time misto com aquele banco de reservas, na altitude da Colômbia, com resultado adverso, iria ganhar o jogo? A derrota era prevista, cantada desde o empate no Engenhão.

Pior. Nem assim serviu pra diminuir a dor. Pior. É a terceira derrota seguida. Pior. Mais longe da liderança. Pior. Sem Sul-Americana. Pior. De goleada. Pior? Tem como ficar pior? Tem.

Poupamos Somália, Alessandro, Thiago Galhardo, Márcio Azevedo e Renan por quê?

O Botafogo entrou em campo no melhor estilo meia-bomba: não partiu pra cima e ficou parado, fazendo papel de bobo. O Glorioso teve uma atuação ridícula e se manchou com uma partida patética e um placar vergonhoso.

Ou o time entra pra arregaçar, ou bota os reservas pra deixar claro que você tá se lixando pra competição.

Se o time quer um exemplo de futebol campeão, que se espelhe no cachorro que invadiu o campo. Feliz, rápido, muitos drible, cheio de audácia e de fôlego.

Caio teve as oportunidades de gol e Elkeson parece “voltar” do limbo da seleção. Esses são os fatores positivos.

Os negativos são inúmeros. Seria um trabalho imenso enumerar cada um dos pontos ruins do time. Prefiro ficar quieto e só avisar: tem muita coisa errada.

E, por mais absurdo que pareça, tenho que pedir calma para todos os torcedores.

Pedir a cabeça do técnico não vai ajudar o time na reta final do Brasileirão. Muito menos vaiar. É hora de torcer pelo melhor. É momento de esperança. Se você tem fé, prenda-se nela. Se você é ateu, faça os cálculos e tente achar uma solução.

As coisas não estão boas, mesmo assim, mantenha a calma.

Sábado é dia de torcer. Só torcer.

domingo, 23 de outubro de 2011

Levanta, sacode a poeira e dá a volta por cima

Por mais que o sol tenha resolvido dar as caras no Rio de Janeiro, o Day After de uma derrota é sempre cinzento... obviamente, ninguém fica satisfeito quando o time deixa escapar pontos preciosos, ainda mais seguidamente! Sempre bate aquela sensação de que a partida contra o Corinthians não foi definitiva em relação ao desempenho do time fora de casa. Sim, a gente vacila fora de casa! Mas, antes que esse pessimismo paire no ar, é preciso sempre olhar para a tabela antes.

Apesar de todos os pesares, estamos em terceiro, terminaremos a rodada no máximo em quarto. Jogaremos os próximos três jogos em casa. 


Fui indagado com brilhantismo por um seguidor que perguntou: "você parece mais preocupado com a galera do que com o time". E realmente, ele está certo. O time que eu vi jogar ontem começou bem, deu dois vacilos brabos em seguida, jogou muito mal a partir daí, depois voltou a jogar bem e terminou mal. Uma partida de futebol equilibrada que infelizmente perdemos. Maicosuel correu meia maratona e quase definiu o jogo quando o placar ainda marcava 2x2. Loco Abreu fez grande partida, com posicionamento de um verdadeiro phd em como jogar na grande área. Renato fez boa partida e marcou seu merecido primeiro gol com a camisa gloriosa. Já o sistema defensivo lamentavelmente teve atuação desastrosa. Para coroar todas as trapalhadas, Marcelo Mattos levou o terceiro amarelo e Lucas um cartão vermelho infantil. Sem querer colocar a culpa no Lucas, mas a expulsão dele atrapalhou sim! E muito! Não gosto de reclamar da arbitragem porque se tornou o normal jogar contra eles também, mas não podemos deixar de registrar que Loco Abreu levou um penalti claríssimo não marcado.

Perdemos mas continuamos vivos na disputa. O que será que ajuda mais no momento? Adotar esse discurso covarde e vazio de que "já era" com certeza que não é. Algumas pessoas parecem jogar contra o próprio patrimônio, pelo prazer de poder dizer "eu estava certo", "eu já sabia", se o barco afundar. Outras ficam querendo arranjar um motivo para desistir da guerra antes da última batalha. Motivos não faltarão. Todavia, um time com JEFFERSON, Renato e um capitão que intimida o goleiro para acelerar o jogo (sem levar amarelo) é um time que não me faz desistir antes do apito final. Infelizmente nem todos os jogadores encaram o Botafogo com a  mesma seriedade, mas cabe a torcida fazer o seu papel. SEMPRE.

Como no casamento, é na alegria e na tristeza. Só os fortes sobrevivem ao Botafogo.

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Hoje é dia de decisão

Legenda desnecessária
Se você tem uma superstição: mantenha.
Se você tem uma promessa pendente: cumpra.
Se você tem uma religião: reze.
Se você tem um amuleto da sorte: use-o.

Hoje é o dia de decisão.

Não que uma derrota ou empate acabem com nossas chances, mas verdade seja dita, uma vitória modifica tudo. TUDO mesmo.

Não é só a nossa liderança. É o balde de água fria na cabeça dos adversários. São as chances de título potencializadas a mil. É o ânimo da torcida. É o ânimo dos jogadores. É o dinheiro que entra e paga os prêmios atrasados. É o nome do clube nos jornais. São as camisas alvinegras na rua.

Não é só uma vitória, é deixarmos de ser um mero concorrente para nos tornarmos favorito.

Continuo frisando que não será a derrota ou empate que nos derrubará.

Quem é Botafogo sabe que adversidade é combustível para o clube.

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

¡Sí, el Loco está acá!

Ontem, pouco antes da partida contra o Atlético Paranaense, vi uma foto publicada no Facebook que anunciava e convocava a torcida para apoiar o Botafogo nesta reta final de brasileirão, e esta retratava uma disputa de bola entre um jogador do Atlético-PR e André Lima. Imediatamente, pensei: "caramba, como é que um clube com a grandeza do Botafogo ficou tantos anos refém de ataques inoperantes e que não nos levaram a lugar algum!!!"

E hoje, dia do aniversário de Loco Abreu, vejo o quanto o espírito de uma equipe mudou. O Botafogo tem um ataque determinado, e uma equipe com vontade de vencer. É bonito ver como esse jogador mudou a imagem que se tinha do Botafogo... chorão? Chorões são os que sofrem com os gols de Abreu... Não é à toa que ele é o nosso capitão! Quando reclamamos de algo, por intermédio dele, o fazemos com embasamento, com conhecimento de regras, com uma postura firme e que, muitas vezes, já deixou (para a nossa diversão, claro!), muita gente da maior torci... opssss, emissora do país, com as calças curtas. Os outros até podem puxa o saco da Rede Globo, mas aqui é Botafogo!!! Aqui não!!!!

Quem diria que o homem que estreou no Botafogo num dia tão adverso se transformaria em ídolo de forma tão rápida? Lembro-me perfeitamente de cada crítica, de cada comentário desconfiado e da zoação dos adversários quando depositamos nossa confiança em Loco Abreu. Hoje, são estes os mesmos que o reverenciam e respeitam a sua visão de jogo e sua postura dentro de campo.

E hoje, dia do aniversário de Loco Abreu, mais do que desejar feliz aniversário, gostaria de dizer "muito obrigada": por nos trazer de volta a confiança, por eternizar um pênalti, por nos fazer acreditar novamente num título brasileiro, mas acima de tudo, obrigada por (re) conhecer/divulgar a nossa história e por ter se tornado, também, botafoguense de coração.

P.S.: Deixo como sugestão, um texto publicado em abril de 2010 no Infogol - "El Loco Penal", de Gustavo Poli, que mostra como andava nosso coração à época. Como as coisas mudam, não? Mas agora, el Loco está acá...

Cadê o coração, Loco?

domingo, 16 de outubro de 2011

Tempestade Tropical

Alessandro, quantos gols o Botafogo fez na partida de hoje?
Se tem um time chato, esse time é o Atlético Paranaense. Pior, o camisa 10, capitão do elenco, já jogou no Botafogo e sempre foi um algoz nosso.

Ameaçaram o Botafogo. Diziam que um Furacão chegaria ao Rio de Janeiro, com a força de 3 anos de invencibilidade e na luta contra o rebaixamento. Falaram que o técnico deles, um homem de 90 anos de carreira e que ainda tem cabelos pretos como a noite, montaria um esquema tárico capaz de segurar o empate.

Fiquem tranqüilos, o pior já passou. O furacão era uma tempestade tropical.

O jogo foi sem graça, não temos o que comentar. Um gol de cabeça do Antonio Carlos numa falta cobrada pelo Renato e um gol do Loco de pênalti. Isso já diz muito sobre o derby. O que importa é que somamos três pontos.

Aliás, três pontos, sexo e pizza são a mesma coisa: nem sempre são como esperamos, mas nunca são ruins.

Tempo feio, jogo insosso... Deixa pra lá!

O que importa mesmo é quarta-feira!É ganhar ou ganhar!! É o momento dos homens darem uma lição nos meninos!!

OBS: A parceria com a @BrahmaFogo já se mostra pé-quente. Parabéns aos envolvidos.

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

@BotafogoNews e @BrahmaFogo




É com grande alegria q anunciamos nesse post a nova parceria do News! A @BrahmaFogo chega junto para trazer ainda mais informação e entretenimento ao nosso canal e deixar vcs sempre por dentro do q está acontecendo de mais importanto com o nosso GLORIOSO.

E como não poderia deixar de ser, de cara, já vem com uma novidade. E das boas! O pessoal da Brahma entrou de cabeça na idéia de lotar o Engenhão, e então, disponibilizou ao News um ingresso para um dos nossos seguidores assistir a vitória contra o Patético Paranaense!
Para ganhar, é facin, facin! Basta seguir o perfil @BrahmaFogo e dar RT na mensagem q compartilhamos esse link!

Anunciaremos o vencedor amanhã e o sorteio será realizado via aplicativo "Sorteie-me" e só ganhará o ingresso quem seguir os dois perfis!

Abraços GLORIOSOS e Saudações Alvinegras!

Compartilhe|

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Loco só tem um

Esse é o 2 a zero dos meus sonhos.
Eu vi um atacante ir para a zaga. Vi um imperador fazer papel de bobo da corte. Vi um goleiro se recuperar de péssimas atuações. Vi um líder sem grandeza. Vi um gol anulado. Vi um time com um a menos ganhar fora de casa. Vi o sempre protegido perder para o eternamente prejudicado.

Vi muita coisa num jogo só. Difícil contar.

O que importa é o que eu vi no fim do jogo: a tabela de classificação. O Botafogo tem dois pontos a menos que o líder. Detalhe, ainda nos falta um jogo. Vi esperança.

Eu não sei o que o Caio Jr. conversou com os jogadores durante a semana. Seja o que for, surtiu efeito na grande maioria.

Ainda assim, infelizmente, Cortês tomou aquele cartão amarelo bobo na hora de bater o lateral. Rapaz de Quissamã/Nova Iguaçu sem malandragem é fogo! Levar aquele cartão amarelo é típico de quem cresceu com leite com pêra. Ora, Cortês, teu negócio é quibe e esfiha! Toma tendência!

Acho que a expulsão do Cortês veio pra dar mais um gosto de heroísmo ao time. Todos tiveram que se desdobrar, em especial o goleiro Renan.

O menino tem uma tarefa difícil: se contentar com a reserva e substituir um goleiro de seleção.

Não só Renan vive à sombra do Jefferson, como tem uma concorrência no banco, Milton Rafael e Luís Guilherme são muito bons.

Renan mostrou serviço.

No mais, o Botafogo ganhou no suor e no sangue. Se o futebol bonito não vai resolver, que seja na canelada e no desespero. Se não dá para organizar, que seja na base do caos.

Bola pro mato que o jogo é de campeonato!

---


Quero mandar um abraço pro Alessandro, nosso lateral-direito:

Alessandro, tu joga isso e futebol!!!


---

Ainda nos faltam 10 rodadas. São 30 pontos! Eu acredito!

Domingo é jogo pra ganhar e lotar o Engenhão!!

sábado, 8 de outubro de 2011

Algo estranho, não acham?

Como um futebol tão bonito se desfaz tão rapidamente? Qual é a explicação para tantos resultados ruins?

Será que o esquema tático não engana mais? O time, mesmo quando entra com a formação principal, não tá jogando a mesma bola de antes. Elkeson e Maicosuel não são mais tão eficientes e até o Renato anda errando os passes.

Será que os jogadores cansaram? Não é possível. Boa parte do elenco ficou HUM MÊS sem jogar e aproveitaram o tempo para condicionar o time fisicamente.

Será que os convocados fazem falta? Então é de se conversar com os jogadores, focar na reta final. Não é só o título que está se afastando, a vaga da Copa Libertadores corre risco de escapar por entre nossos dedos.

Será que o Caio Jr não tá sabendo mexer? O time precisa fazer substituições que causem impacto, acelerem o time e dêem ânimo. Hoje, a entrada do Wiliam ajudou, mas ficamos sem lateral-direito.

Os salários estão em dia? Só as bonificações estão atrasadas? Há algum problema dentro do elenco? As palavras do presidente não surtiram efeito? Caio desanimou? Ou foi o grupo? Perguntas não faltam.

O que falta é explicação.

Com o futebol de hoje, até a esperança vira desfalque.

É pra se preocupar mesmo!

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Acreditem

A partir da 30ª rodada as coisas melhoram. Enfrentaremos, nessa ordem: Atlético-PR; Avaí; Cruzeiro Figueirense; Vasco; América-MG; Internacional; Atlético-MG, e; Fluminense.

Nas últimas 8 rodadas do primeiro turno, ganhamos do Avaí, Cruzeiro, Vasco, América-MG, Atlético-MG e Fluminense. Perdemos do Atlético-PR, Figueirense, Internacional.

É óbvio que as derrotas foram fora de casa, e que, agora, será bem diferente com o Engenhão lotado. Além disso, temos dois clássicos contra adversários que sofrem com o nosso time.

Some isso ao fato de que temos um jogo a menos.

Do início ao fim, acreditem.

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

O Botafogo é Brasil!

Meus amigos e familiares sabem que um dos meus maiores lamentos por viver no Pará é ficar longe do Botafogo, pois para quem ia a todos os jogos no Rio, ir à seis jogos por ano é muito difícil (muito mesmo!). Essa mudança, porém, me proporcionou um momento único: ver Jefferson e Cortês brilhando com a camisa da Seleção Brasileira. 

Diário Online

"O Botafogo é paixão, é Brasil, é confusão."
Paulo Mendes Campos

Que Neymar e Ronaldinho Gaúcho foram os mais badalados da Seleção não há sombra de dúvidas - se já o são nos jogos dos clubes durante o campeonato brasileiro, por que seria diferente no Superclássico das Américas, no Pará, estado com apaixonadas, mas sofridas torcidas?

O fato é que eu não fui ao Mangueirão para vê-los jogar: fui para ver o Botafogo, fui para ver Jefferson fechar o gol, fui para ver Cortês resolver o problema da lateral e fui para torcer pela entrada de Elkeson. As cores eram o verde e o amarelo, mas meus olhos só enxergavam o brilho de uma Estrela Solitária.

Tive, novamente, motivos para torcer pela Seleção, afinal o sucesso dela significa que os nossos deram conta do recado, mesmo tendo sido alvos de tantas desconfianças. "O Cortês não tem experiência em seleção brasileira e só a torcida do Botafogo é apaixonada por ele", disse um certo comentarista esportivo. Contrariando a crítica, Cortês jogou leve, criou e deu outro espírito à questionável seleção de Mano Menezes.

Quando ele errou passes, brigamos com ele (eu e outros botafoguenses) como se estivéssemos no Engenhão. Cobramos empenho! Gritamos seu nome! Aplaudimos! Vibramos! Tudo isso para a surpresa daqueles que, até então, não conheciam Cortês. 

E o que falar de Jefferson? Será redundante dizer que é o melhor goleiro do Brasil? Não! Será apenas uma constatação - mão segura no gol brasileiro, após essas partidas mostrou que merece disputar a vaga de titular com o tão cheio de créditos Júlio Cesar.

Já havia motivos suficientes para que meu coração alvinegro ficasse emocionado, mas o melhor ainda estava por vir: a arquibancada gritando o nome de Cortês. Ver o nosso Botafogo construindo uma vitória da Seleção Brasileira, apesar de não ser novidade, é sempre emocionante. E fazer parte da festa é ainda melhor.

Nesse superclássico das Américas, não dei muita bola para o adversário. Nem para as estrelinhas da Seleção. O que valeu o ingresso foi ver o Botafogo bem representado e voltando em grande estilo à seleção. E a máxima, hoje, apenas se confirmou: a Seleção Brasileira deve muito ao Botafogo. E não sou eu quem digo isso. É a história!

domingo, 25 de setembro de 2011

Na conta do Loco

Na crônica após último jogo havia dito que o Botafogo não jogou bem, mas os três pontos foram conquistados. Posso repetir a análise para este, invertendo os fatores: O Botafogo jogou bem e os três pontos não foram conquistados. É ruim? É, muito, pelas condições do jogo. No mais, a briga continua, o fim do mundo está muito longe e o Botafogo depende só dele para ser campeão: além de um jogo a menos tem confronto direto com todos que ocupam o topo da tabela com exceto o São Paulo.

O título pode surpreender alguns, o mais fácil seria responsabilizar pelos dois pontos perdidos o goleiro Renan pela falha bisonha durante a partida. Esperada dado o histórico do jovem goleiro, que chegou a iludir o torcedor em duas boas defesas anteriores. Críticas também ao Jefferson que, pendurado, deu motivos para ser advertido pelo árbitro na partida diante o Grêmio, na véspera de uma partida tão importante quanto esta e já sabendo que desfalcaria o alvinegro em outras duas oportunidades.

Renan não faz parte do meu time campeão, é menos que um coadjuvante e em ocasiões atípicas. Na total contramão vai o uruguaio, atacante, líder, ídolo e capitão Loco Abreu. Tudo que precede a alcunha é mais do que merecido, mas a reverência caminha com a cobrança. O gol perdido não é dos primeiros inacreditáveis desperdiçados pelo uruguaio. Ele é meu ídolo, da imensa maioria da torcida também, e exatamente por isso não se pode dar o direito de falhar deste modo.

Por outro lado, Abreu poderia também se sagrar o salvador dos três pontos dada às circunstâncias nas quais o empate se deu. Ao ser sacado do time representou a perda de referência nas bolas alçadas na área tanto no ataque, quanto na defesa. Caio Jr, nesse sentido, também tem sua parcela de culpa, assim como tem méritos pelo bom primeiro tempo apresentado, uma coisa nem outra o exime de críticas. Mais uma vez demorou a mexer e vejo nos últimos jogos um Botafogo um pouco diferente, mesmo no primeiro tempo de bom futebol a equipe já não apresentava a troca de passe com tanta desenvoltura como em outras partidas. Em alguns momentos a equipe também carece de saber valorizar a posse de bola e de matar contra-ataques com faltas táticas. Me assusta também o comandante afirmar que, pela história recente não ser vitoriosa, o torcedor tem que ter mais paciência.

Outros dois destaques negativos ficam para Felipe Menezes, tão sem sangue que em momentos relembra você-sabe-quem¹, e para Fábio Ferreira, que demonstra tanta, mas tanta insegurança, que o Antonio Carlos prevê mais o erro dele do que o próprio atacante adversário. Hoje não errou, mas há alguns jogos prepara uma bela lambança, por que não testar o Gustavo na posição? Cidinho também me surpreendeu negativamente, se lançou algumas vezes ao ataque e não teve o mesmo gás que outrora para recompor a lateral de campo.

Mas é isso, estamos na briga, as críticas tem que ser entendidas como parte do jogo. O trabalho de formação de uma equipe campeã passa, também, pelos questionamentos. Pra cima deles cachorrada. Que ganhe as duas próximas para compensar.

1- você-sabe-quem: lúcifer, vulgo Lúcio Flávio.

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Ligações Perigosas

Não recebi com surpresa a notícia desta semana da filiação do atual presidente Maurício Assumpção ao PMDB, partido do governador e do prefeito da cidade. A ligação entre presidentes e figuras públicas de clubes de futebol com a política é vista por todo o território. Hoje, Roberto Dinamite - presidente do Vasco - é deputado estadual, dos mais faltosos, também pelo PMDB e Patrícia Amorim é vereadora do Rio pelo PSDB. A segunda, no entanto, já era parlamentar quando eleita no clube do Jardim Botânico¹.

Só por isso não me surpreendeu a notícia? Não, e volto um pouco no tempo para explicar. Coincidentemente, na festa junina promovida pela diretoria no dia 4 de Julho do ano passado, na sede de General Severiano, Rodrigo Bethlem, então candidato a deputado federal e subsecretário municipal licenciado de ordem pública, pelo mesmo PMDB, esteve, acompanhado do presidente, no arraiá. Não houve campanha explícita durante o evento. Até em razão de, segundo o calendário eleitoral, a campanha só se iniciar no dia 6, dois dias depois do evento.

Até aí nada estranho, somente a ligação com uma figura pública com envolvimento em casos estranhos que vou falar mais na frente. A surpresa, no entanto, foi depois. No terreno da sede de General Severiano, aonde anteriormente era arrendado para uma concessionária de carros e hoje funciona a loja oficial do Botafogo, foi estabelecido um comitê eleitoral do mesmo PMDB. É legal? Talvez, não conheço o estatuto do clube. É estranho? Também é. O presidente aparece ao lado de uma das principais figuras do partido e dias depois uma parte do terreno foi utilizada por este mesmo grupo. Tudo fica mais claro agora, quando, na data limite para a candidatura para o próximo ano, se filia ao mesmo partido. Merece, no mínimo, uma investigação ou eu que estou maluco?

O parceiro de arraiá do presida também merece boas investigações... Como o tema é o Botafogo, não vou entrar no tema, só deixar alguns links sobre o bom moço do choque de ordem, agora secretário de assistência social do prefeito Eduardo Paes.



Evolução Patrimonial de mais de 400% - a fonte é péssima. Mas quem tá no erro costuma revelar outros na mesma situação.


Só para terminar é bom deixar as coisas em panos limpos. A opinião é minha, Pedro Souto, 19 anos, estudante de jornalismo, botafoguense e militante de partido político que vocês podem ver aqui. O BotafogoNews julga o espaço como democrático, acho que o primordial é deixar bem claro quem você é, quanto maior clareza o leitor tem disso, mais elementos ele tem para avaliar o conteúdo. Todo texto é influenciado por quem escreve, isso não se discute, para que vocês julguem e critiquem é essencial ser transparente. Quem quiser escrever algum texto que dialogue com esse, peço que me encaminhe, que igualmente abrirei o espaço para quem quiser se posicionar.

Lembrando no post anterior, você me acham no twitter - @pedroasouto -, facebook - Pedro Souto-, e, acrescentando, no email - soutopedroa@gmail.com.

Saudações Alvinegras!

¹- Time do Jardim Botânico. Fisicamente a sede do clube fica localizada no Leblon, o apelido é Gávea e o controle político, o mais importante, é estabelecido na Rua Von Martius, 22, também conhecida como Rede Globo de Televisão.

Vitória de campeão

A partida foi morta, o Botafogo jogou mal, mas o mais importante aconteceu: conquistamos os três pontos. Time que sonha em ser campeão tem que ser assim, nenhuma equipe vai apresentar um futebol bonito e que convence durante as 38 rodadas. Por outro lado, de qualquer jeito, não podemos deixar de cobrar um bom futebol, a cobrança gera resultados.

É bom destacar também que a campanha do Botafogo fora de casa é medíocre. São 15 pontos fora de casa, sendo 3 deles no clássico diante o Fluminense, o que, para mim, não conta. Acho que regularmente falta a ousadia que a equipe apresenta dentro de casa. O Grêmio tem um time que na parte da frente é eficiente, mas uma defesa insegura, todas as vezes que o Botafogo tentou chegar não encontrou maiores problemas, se fosse mais ousado, talvez o resultado fosse mais elástico.

Nossa última vitória no Olímpico, coincidentemente, foi no mesmo ano que nos sagramos, pela última vez, campeões nacionais. Para o botafoguense isso não é um indicativo qualquer. Sendo assim, mesmo com a diretoria mais uma vez tentando atrapalhar nas vendas dos ingressos - não haverá venda no dia do jogo - a expectativa é de Engenhão lotado.

A pergunta que fica no ar é a seguinte: O Maracanã durante 50 anos funcionou com um público médio três vezes superior ao do Engenhão. Não havia costume em comprar ingressos antes das partidas, a imensa maioria garantia os ingressos na hora e com uma fila muito mais rápida que em muitos jogos com público pequeno no Engenhão. Tá na hora da diretoria, enfim, solucionar esse problema, não? E a solução passa longe de limitar as vendas dias antes dos jogos. O torcedor trabalha, estuda e os pontos de venda são ruins. Não é meu caso, mas o torcedor da Zona Oeste não tem absolutamente nenhum ponto de venda viável.

Aliás, vão me ver constantemente reclamando do Engenhão aqui. O preço dos ingressos, com certeza, será tema de um próximo post. Não me apresentei até agora, faço aqui. Meu nome é Pedro Souto, tenho 19 anos e sou mais um torcedor do Botafogo. Estudo Comunicação na UFRJ e durante um bom tempo estive no Redação Alvinegra, que vocês devem conhecer. Vocês me acham no twitter e facebook – @pedroasouto e Pedro Souto, respectivamente. Saudações Alvinegras e, mais uma vez, contra tudo e contra todos, vamos lotar o Engenhão.

Compartilhe|

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Seleção, Salto Alto e Observações

Escolha a sua legenda
Eu não sou um homem inteligente, não tenho um futuro brilhante e muito provavelmente morrerei cedo por conta do meu estilo de vida. Por conta disso tudo, eu não posso ser uma pessoa dona de palavras amigas e que ajudam. Se não for sobre churrasco, ficar bêbado e falar merda, eu só posso dar um conselho: PASSA PRO LOCO!!!

Sim, na minha vida eu só sei essas quatro coisas e uma delas é que o Loco resolve. Vale mais a pena confiar na qualidade do uruguaio que apostar no bom momento de Elkeson e Cortês.

O esporro do Loco no final da partida mostra que o Botafogo está no caminho certo. Se o time estivesse satisfeito, seria pior pra nós, torcedores. É preciso fazer mais, jogar melhor, não sofrer pressão e resolver quando possível.

Foi vitória, mas não foi suficiente. Falta muito campeonato. Além disso, temos jogos difíceis, jogaremos com o time desfalcado por conta das convocações e suspensões e ainda tem os jogos da Sul-Americana.

Ainda não é o momento de comemorar. Vamos com calma, sempre nos cobrando. Lembram do Oba-Oba que fizeram pros queridinhos da mídia paulista e carioca? Eles afundaram!

Vamos do nosso jeito: sem festa, só futebol.

--

OBS: Essa semana foi aniversário do Alessandro. Parabéns ao “Presidente”. Desde que assumiu a posição de reserva fixo, ele tem ajudado muito dentro do campo. Eu já acho que o Alessandro deveria ter só essa função. Ele poderia se dedicar 100% ao ambiente do elenco e deixar o Lucas jogar bastante.

OBS 2: O Presidente do Botafogo se filiou ao PMDB. Há rumores de que ele será candidato a vereador no Rio de Janeiro. Não quero entrar na questão de posicionamento político, muito menos falar mal do partido do Sarney, Cabral, Eduardo Paes e etc, etc, etc... Só digo uma coisa: usar o Botafogo como trampolim/vitrine dá azar! Toma cuidado, presidente, vai que você passa uma vergonha nas urnas...

OBS 3: Meu pai costumava me contar histórias de futebol que começavam assim: “Naquela época só existiam Botafogo e Santos...”

Hoje, a seleção tem 3 jogadores do Botafogo (Elkeson, Cortês e Jeferson) e 4 do Santos (Neymar, Borges, Danilo e Rafael).

Agora, imagine um time assim: Jefferson; Danilo, Edu Dracena, A. Carlos e Cortês; Helano, Renato, Ganso e Elkeson; Borges e Neymar.

O futebol brasileiro renasce junto com Santos e Botafogo. Coincidência ou não, no início do século passado, o futebol se tornou nessa paixão nacional com esses dois clubes brilhando.

OBS 4: No domingo, a venda de ingressos será feita APENAS em General Severiano e no Caio Martins até as 13h. Não haverá venda no Engenhão!