segunda-feira, 5 de setembro de 2011

O dia em que o Fogão não precisou jogar para vencer


Salve, salve galera!!! 

Ô, SORTE!

Vinhamos em franca ascenção quando nos deparamos com a fatídica 21a rodada. Nosso adversário da vez, O Santos, vejam só: recorreu a CBF para que o jogo fosse adiado. Dizem por aí que o peixe ficou com medo de virar moqueca. Pois é. O SANTOS ARREGOU. Não houve jeito, tivemos que nos conformar com um final de semana sem jogo do Botafogo. Parecia apenas mais um domingo melancólico. Ledo engano. O 4 de setembro ficará marcado como o dia em que o Fogão não precisou jogar para vencer. 

A micareta baiana animou o Engenhão (leia-se nossa casa) e manteve o lixo onde é o seu lugar: abaixo do Glorioso. O Framengo sem o mais feio do mundo é apenas Framenguinho. 

Já no Couto Pereira, o grande amigo Coritiba tratou de despachar o Corinthians de volta para o Tietê com uma derrota na bagagem. Vibrei no gol do Coxa como se fosse gol do Botafogo. E de certa forma foi. Um momento que valeu todo o investimento em pagar o PFC mesmo comparecendo aos jogos do Engenhão. Para completar, uma bela jogada dos maloqueiros aos 45 do segundo tempo. A bola incrivelmente bate na trave e passa na frente do gol vazio. Um lance daqueles que faz a gente acreditar que nada é por acaso.

Sem pisar no gramado, o clube perdeu apenas uma posição e segue três pontos atrás do líder. Como diz o Armando Moya, "O Botafogo é um time de operários em uma luta de classes". Os holofotes ainda estão virados para o outro lado. Quando tentarem nos desestabilizar, já será tarde demais. 

Os deuses do futebol estão empenhados em fazer justiça.

2 comentários:

  1. O mais feio do mundo fez falta? Então o Fra tá precisando de elenco. Parabéns pelo texto!

    ResponderExcluir
  2. Massa... Só esqueceu de citar o feito do américa mineiro em cima vasco...

    Parabéns!!!!

    ResponderExcluir