domingo, 7 de agosto de 2011

"Trago a Pessoa Amada em 3 Pontos"

                                                                                Zagallo deu a saída de bola, com o pé esquerdo, ele passou para o pé direito de Loco. Era o passado em sintonia com o presente.

Possivelmente inspirado nos seus antepassados de posição, Cortês teve uma atuação de gala, lembrando Nilton Santos.

Renato foi seguro e centrado no meio de campo, com um pé feito na forma, reinventando um Gerson.

Loco Abreu foi cruel - muito cruel -, a moda de Didi, Túlio e tantos outros.

Ouso em afirmar que Felipe Menezes foi um Sérgio Manoel; Marcelo Mattos, Carlos Roberto; Elkeson, Paulo César Caju; a dupla de zaga de 89; e por aí vai.

Talvez, hoje, não tenha sido um jogo qualquer, mas um ritual de transição, ou um passe espírita ou algo do tipo. Mas uma coisa é certa: nosso contato com o divino começou quando fizemos o descarrego do Alessandro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário