terça-feira, 14 de junho de 2011

Egidio Raúl Arévalo Ríos


Ele não caiu nas graças da torcida, mas também não era odiado. No entanto, saída de Arévalo Rios fará falta ao elenco.

O Brasileirão é longo e perigoso. Três cartões amarelos, um vermelho, o duvidoso STJD, contusões, jogos de seleções, a janela internacional... Tudo isso afeta um time aspirante a campeão brasileiro. A saída de Arévalo Rios apenas enfraquece nosso elenco.

Dificilmente ele seria titular no nosso time ideal, cujo meio campo seria formado por M. Mattos, Renato, Dede (Elkeson ou Diego) e Maicosuel. Ainda assim, ele seria um banco de luxo, um reserva importante e necessário.

Renato não é mais nenhum jovem, e M. Mattos vive tendo problemas físicos e poderá voltar para a Europa. A falta de qualquer um desses “titulares absolutos” será sentida. Qual seria o reserva deles? Voltaríamos ao Somália, que não anda com moral com a torcida; ou colocaríamos Lucas Zen, que ainda é garoto e pode acabar se queimando; ou, ainda, o tal Araruama (quem?).

Caio Jr perde uma opção, mas, aparentemente, ganha um dinheirinho para contratações. Vamos esperar bons nomes.

Só um adendo: o cão de guarda do meio campo do Uruguai é o Arévalo “El Cancha” Rios. Lendo sites que comentam os jogos da Celeste Olímpica, concluí que ele é uma das peças fundamentais para o time. Sua garra e determinação são consideradas decisivas para o sistema defensivo.

Enquanto não tivermos uma peça que o substitua, quem perde é o Botafogo, ou seja, eu e você.

Um comentário:

  1. Seria um bom reserva. É um jogador que sabe marcar bem, mas não conseguiu se adaptar ao país.

    ResponderExcluir