quinta-feira, 21 de julho de 2011

Política e Futebol

Sarney no Botafogo
Eu não gosto de atacar jogadores pessoalmente. Prefiro criticar um conjunto, do que achar um único culpado. Quando o time perde, a culpa é de todos do elenco, não só de um. Mas tá foda segurar o grito.

Desde a década passada que a torcida fica rouca de tanto xingar e pedir sua saída. Ainda assim, seu vínculo empregatício é estendido dia após dia. Se lembrarmos, Alessandro era reserva do Joilson, que nunca foi um grande lateral, apenas teve um ano bom. São 4 anos de insatisfação. Quatro anos de críticas e vaias. Basta!

Verdade seja dita, Alessandro mais parece um Sarney: Os todos poderosos defendem (MA e Lula e FHC); não saem do poder (do time e do Senado); ocupam cargos importantes (titular e presidente do Congresso Nacional); e ninguém consegue derrubar.

Eu sempre fui um homem politizado, por isso, em defesa da democracia e da alternância, eu digo: FORA, ALESSANDRO!!!

É preciso dar oportunidade ao Lucas, ele não merece o banco.

Alessandro no Senado

2 comentários:

  1. Antes de mais nada, saudações alvinegras. Acho que o "assunto Alessandro" já saiu há algum tempo da esfera da racionalidade e migrou para o âmbito da paixão. Uma paixão que é por alguma coisa que não o Botafogo. Digo isso por dois motivos básicos: o primeiro é que o cara tem grande respeito pela camisa que veste (algo banal, mera obrigação, mas que não é seguido por todos, e alguns deles sequer são vaiados) e o segundo é que o seu rendimento tem sido muito melhor que o de Lucas, atual reserva.

    Concordo que tenha limitações técnicas, mas acho que vaiá-lo está muito longe do razoável e pedir sua saída chega a me parecer algo insano. Se trouxerem um cara de alto nível pra tomar conta da posição, vá lá que seja, mas tirar Alessandro para pôr Lucas? Sei não...

    Abraços,
    botarsenapoli.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. É, estou certo que é só tirar o alessandro que seremos campeões..... #NOT

    ResponderExcluir